Notas da bola

1 comment

1- O Barcelona tinha tudo para vencer tranquilamente a Liga Espanhola, tem os melhores jogadores e tinha desenvolvido nos últimos dois anos uma equipa que era uma máquina de jogar futebol bonito. Este ano o Barça quebrou e o campeonato deve ir para Madrid. O Real Madrid demorou a encontrar-se e só os golos de Van Nistelrooy foi salvando o Real de ser medíocre, o Sevilha joga bem mas ainda não tem espírito matador e competência para ser campeão.

A Liga será vencida pelo Real porque o Barcelona quebrou. Ao de cima veio o vedetismo de Eto´o e o mau balneário do Barça. É pena, numa das melhores ligas do mundo o título ir para a equipa menos má e não para a melhor.


2- Em Madrid brilha Beckham. Beckham está a fazer uma grande temporada mas não ficará conhecido como um grande jogador. Desde que o jogador inglês se casou com Victoria dedicou-se mais à vida de luxo e vedetismo do que ao futebol.

Beckham gosta de ser uma estrela e desperdiciou irremediavelmente o talento que tem mas que podia ter desenvolvido mais.

Beckham vai sair do Real Madrid e recusou o Milan para jogar no LA Galaxy, isto não é de jogador de futebol de primeiro plano. Beckham será para a história um jogador mediano e um homem rico, muito rico. Apenas.


3- o Bayern ficou em 4º na Bundesliga, algo impensável para o campeão crónico da Alemanha. Assim sendo os bávaros atacaram o mercado e já têm quatro belas estrelas: Jansen , jovem lateral ; Ribery , promissor extremo francês ; Zé Roberto, experiente médio brasileiro e Luca Toni, goleador italiano.

Promete o próximo campeonato alemão que é algo menosprezado mas têm grandes jogadores, estádios cheios e competitividade.

Oeiras Alive - 9 de Junho de 2007

No comment yet

Diga-se o que disser as pessoas que ontem encheram o recinto do Oeiras Alive deslocaram-se ao passeio marítimo de Algés para saudar o regresso dos grandes Smashing Pumpkins.

Dizia-se até ontem e diz-se hoje que as estrelas da noite de ontem seriam e foram os White Stripe mas quem foi ao Alive viu que se respirava o ar melancólico dos que esperavam a poesia triste ("i am in love with my sadness") de Bill Corgan e para além deste sentimento subjectivo viram-se milhares de pessoas com uma t-shirt com Zero ("do you wanna go to a ride?") escrito, Zero da primeira canção mundialmente conhecida dos de Chicago.

Pouco antes da meia noite Corgan, Chamberlain e três novatos na banda entraram em palco envergando fatos brancos com o aparato e encanto próprio do imaginário dos Pumpkins. Corgan mais maduro e sabendo de cor o que dele todos esperavam começou a cantar. No exacto momento em que Corgan atingiu o microfone a chuva começou a cair do céu.

A primeira música instalou a loucura na multidão: today ( "is the greatest day of all"). A plenos pulmões foram-se cantando os hinos da banda e da história do rock.

Momentos altos foram muitos: Bill a cantar levemente "world is a vampire" enquanto que os fans começavam a saltar e a cantar mais alto que Corgan cada letra da canção; depois Corgan ficou mais só no palco, primeiro só com o seu fiel baterista e depois sozinho para puxar da lágrima (uma espectadora em especial chorou em cada canção como os ecrãs gigantes nos mostravam...) , Corgan tocou à viola Disarm ("what i choose is my choice").

No meio dos fabulosos singles que se esperavam (1979, Tonight Tonight, Stand inside your love) estreou-se com bastante aceitação o novo single Tarantula.

Um grande concerto que não defraudou os fans, não houve novidades: os Smash foram muito bom e isso não é novidade.

Zitgeist sai a 7/7/07.



Antes o palco já tinha sido aquecido por um grande concerto de rock: a brilhante estreia dos White Stripes em Portugal foi muito boa.

Um concerto de rock com influências que fez o pessoal saltar. Bem vindos W.S. , voltem sempre.