4 comments

"Mantenha os seus olhos nas estrelas e os seus pés na terra."

Theodore Roosevelt

Para a Kika

1 comment

Aida de Verdi


Giuseppe Verdi

Giuseppe Fortunino Francesco Verdi (Roncole, 10 de outubro de 1813Milão, 27 de janeiro de 1901) foi um compositor de óperas do período romântico italiano, sendo na época considerado o maior compositor nacionalista da Itália, assim como Richard Wagner era na Alemanha.

Aida


Aida é uma ópera em quatro actos com música de Giuseppe Verdi e libreto de Antonio Ghislazoni, com estreia mundial na Casa da Ópera, Cairo, aos 24 Dezembro de 1871. Esta obra foi composta por encomenda do governo egípcio para a inauguração e em comemoração da abertura do canal de Suez.
A ópera narra o drama de Radamés, guerreiro
egípcio convocado para combater os etíopes numa guerra entre os dois povos. Radamés, entretanto, apaixona-se por Aída, princesa etíope capturada que fora reduzida à escravidão. Triunfando contra os etíopes na batalha, o faraó concede que Radamés se case com sua filha Amnéris. Radamés tenta fugir com Aída para longe do Egito e da Etiópia, mas durante a fuga são surpreendidos pelos sacerdotes, que o condenam à morte por soterramento pela traição à pátria, apesar da intervenção de Amnéris para que Radamés continue vivo. Aída, sabendo do destino de Radamés, decide se soterrar no túmulo, para morrer junto com o amante.

In "wikipédia"

Futebol-Mercado de Inverno

3 comments

Do que precisam os grandes?

FCP- O Porto é a melhor equipa e com Anderson pronto a jogar ainda melhor será. Mareque, defesa argentino que será uma boa alternativa a Cech e Diego , um numero dez perdido no Penafiel mas que se diz ser de garnde futuro devem ser os reforços de Janeiro. O FCP não ecisa de mais.

Benfica-Falta um central fino para fazer companhia a Luisão, um ala direito e um ponta-de-lança alto para jogar com Nuno Gomes ou Miccoli. Nos centrais Anderson é bom mas parece ser demasiado macio enquanto que Rocha é demasiado duro, faz falta um jogador com classe que saiba sair a jogar. Para a ala direita é necessário um homem veloz e que saiba cuzar, Sosa argentino de 21 anos parece ser o home que o Benfica quer, resta saber se há dinheiro para isso. Elano, titular da Canarinha e Marica, titular da Roménia seriam boas alternativas, ambos jogam no Shaktar da Ucrânia. Para a frente fale-se em Nilmar, é muito bom mas para o futebol do SLB faz falta um homem alto que abra espaços a Gomes. Alguém como Jankauskas por exemplo. Koller do Mónaco, Budan do Parma ou Amanatidis ou Heinz do Galatasary podiam ser uma boa aposta; fora da Europa Obina do Flamengo seria bom e barato.

Sporting-Falta um trinco duro, um número dez, um extremo e um ponta de lança. Trinco-o is desejado e que acentava bem no SCP era Rochemback, Mineiro do so Paulo com 31 anos e muita força era também bem vindo, mais baratos seriam Madrid do Braga ou o georgiano Kankava do Asenal de Kiev, para número dez parece-me que Modric(na foto) croata do D. Zagreb seria uma boa escolha. Se Paulo Bento quiser homens rápidos para um 4-3-3 falta um extremo: fazer regressar Douala ou Varela ou contratar? Contratar e contratar o norueguês Braaten do Rosenborg. Para o ataque três nomes vêm me à cabeça: Linz do Boavista, Cardozo do N. Old Boys e Grafite ( muito bom jogador) do Le Mans.

A morte de Saddam

498 comments

Saddam Hussein foi enforcado na passada semana. Desde já digo que sou absolutamente contra a pena de morte. Saddam praticou tanto quanto se sabe milhares de atrozes crimes e portanto a provarem-se ( como se provam, menos as armas de destruição em massa) Saddam deveria ser castigado.
Para mim nenhum castigo deve ser a pena de morte.

A morte do ex ditador iraquiano foi clandestinamente filmada por um telémovel de alguém presente na sala do enforcamento. Se sou contra a pena de morte ainda mais sou contra a divulgação do sofrimento de alguém. Se Saddam merecia respeito em alguma altura seria ( talvez só) na hora da sua morte.

Em poucas semanas o mundo ficou livre de dois tiranos Pinochet e Hussein, quantos faltam até vir a paz?

Crise?

1 comment



SMS

Os portugueses trocaram mil milhões de SMS entre o Natal e o Ano Novo. É este o comportamento de um país pequeno e em crise?

A namorada de um amigo meu

No comment yet
Mas, se partes de vez levas a esperança.
Mas, se partes de vez levas um ou talvez dois sorrisos.
Mas, se partes de vez trais o que foste e a tua raça de Evas cai-me na consideração.
Sei que no fundo voltarás.
Errada e humana voltarás.
Perfeita e sobrenatural, volatrás.
Errado e sobrenatural espero. Mas...

Concerto

2 comments

Spark- O futuro mora aqui.

Concerto

1 comment
Spark ao vivo na discoteca Sudwest ao vivo a 29 de dezembro de 2006

Os Spark são uma banda de pop-rock que fez em Dezembro um ano de vida e regressou ao local onde começou, o dono da Sudwest foi o primeiro a apostar na banda local e voltou a faze-lo não se arrependendo.

Os Spark já trazem atrás uma pequena mas fiel orda de fans que gritam e saltam ao som do quarteto. Os que não conhecem parecem gostar e alguns atrevem-se a pedir mais músicas. Normal para os Spark é tocar 40 minutos, desta vez graças a pedidos durou mais uma hora.

Para começar canção Run dos Snow Patrol e de seguida músicas já batidas para os Spark como Today dos S. Pumkins ou Came as you are dos Nirvana. No fim O atrevimento de tocar pela 1ª vez ao vivo Tonight Tonight de Billy Corgan.

Nos originais o poder a aceitação normal. Imposibility of love é o ingle e arrncou uma lágrima e várias palmas e a nova Forever Lost , novíssima e muito boa nova canção.

Filipe Araujo apresentou-se com um poder na voz que até agora não tinha mostrado, João mostrou os habituais dotes no solos da guitarra e uma boa prestação vocal em Creep dos Radiohed, Carlos já não treme e é uma baterista seguro e Ricardo com a namorada a 3 metros tocou baixo com a serenidade de um apaixonado e a classe de um profiional. As letras dos Spark mostram ideias surrealistas e originais como as dos Pumpkins e o som lembra algo como os Strokes.

Nota positiva. Ao fundo brilha o futuro irmãos.

Revista do ano de 2006

No comment yet
O Há Normal vem aqui e hoje entregar os prémios dos melhores de 2006! Vejam tudo aqui em baixo

Gadget do ano

1 comment

Mp3

É uma mania, uma moda e para muitos são uma necessidade viceral. Para crianças, adolescentes ou adultos ter um mp3 é essencial. Ser I-Pod é melhor e sinal de status social. Enfim gosto da minha música portátil mas não alinho em histerias nem modas.
Oiça-se música mas não se gaste 300 euros por um mp3.

Bebida do ano

No comment yet

Água! Barata, não se estraga, não engorda, não altera o corpo nem a alma.

Comida do ano

No comment yet

Sushi e picanha, eis as modas. Prefiro a picanha, com arroz, feijão e banana frita...Gostos...

Melhor jogador de futebol do ano

No comment yet

Deco

Venceu La Liga espanhola, a Liga dos Campeões e levou Portugal ao 4º lugar no Mundial. Enche o campo, correndo, defendendo,atacando,desmarcando,cruzando e mrcando cada vez mais golos.

A seguir vêm Lampard e Drogba ( parece-me que a votação FIFA é algo diferente).

A série de TV do ano

No comment yet

Family Guy

E se os Simpsoms fossem brancos e não amarelos e se fossem ainda mais polémicos? Seriam o Family Guy! Para ver e rir até doer a barriga.

Prison Break é uma muitoboa série mas para mim FG diz-me mais...

Personalidade internacional do ano

1 comment

Al Gore

Correu mundo a dar conferências sobre os perigos do efeito de estufa. Escreveu um livro e fez um filme: Uma verdade inconveniente.
Gore foi isso memo inconveniente e mostrou que brevemente e, se não forem tomadas medidas urgentes o nosso mundo mudará para muito pior. Alarmismo? Não, há estudos que o provam. Oiçam este homem.

Personalidade portuguesa do ano

1 comment


Gato Fedorento

Pedro Rolo Duarte escreveu na sua crónica do DN que desde o Gato Fedorento que olhamos para os portugueses mesmo que em situações sérias e imaginamos logo que estes estão a fazer parte de um sketch do Gato. A isto PRD chama o efeito fedorento.
Eu confesso que o sinto todo os dias no metro, no autocarro, na rua e desato a rir sozinho.

Palmas para humor inteligente num país com queda para a tristeza crónica e burrice.

Acontecimento internacional do ano

1 comment

A crise dos cartoons dinamarqueses

Um jornal dinamarquês publicou em 2006 uma série de cartoon sobre o Islão o que provocou a ira do Mundo Islâmico. Percebo. Defendo a liberdade de imprensa mas defendo mais o respeito. Que haja paz , portanto que se evitem ao máximo provocações. Paz.

Acontecimento nacional do ano

No comment yet

Cavaco presidente

Cavaco Silva tornou-se em 2006 PR de Portugal, um PR até agora sereno e discreto como convém. Bateu Mário Soares e ainda um candidato poeta Manuel Alegre.

Livro do ano

1 comment


Baudolino

Romance histórico do mestre Umberto Eco a fazer lembrar Candido de Voltaire mas bem melhor na minha opinião.Livro de aventuras com uma malha a histórica a envolver uma estória bem escrita, pouco pulicitado merec mais destaque. Corram a ler.

Música do ano

No comment yet

Crazy dos Gnarls Barkley e World, hold on de Bob Sinclair não saiem da cabeça...nem do resto do corpo....

Disco internacional do ano

1 comment

Western Dream

Um DJ francês com ar franzino e nome inglês-Bob Sinclair pôs o mundo a dançar. Quem não ficou louco com os singles Love Generation e World, Hold on. Sinclair distribuiu alegria pelo mundo emerece par mim ser o disco do ano.

A morder os calcanhares estão os Gnarls Barkley que deixarammuita gente crazy na pista de dança.

Disco português do ano

No comment yet

Pratica(mente)

Samuel Mira, Sam the kid ao 4º disco voltou a ser original e a surpreender até os fans mais atentos. De Sam espera-se tudo e o que se ve no novo disco é a normal crítica social, amor declarado ao hip hop e até auto crítica. Chega dizer que é o melhor cd de Hip Hop jamias feito em Portugal?

Filme do ano

No comment yet

The departed- Entre inimigos

Martin Scorcese voltou ao cinema para fazer um filme de bom vs mau,neste caso polícia bom vs bandido necessariamnete mau. Qual a novidade? O bom afinalé mau, omau afinalé bom e afinal nada do que parece ser o é de facto. Obra de mestre com o rei Jack Nicholson a comandar Matt Damon, Leo Di Caprio, Mark Whalberg, Sheen pai e uma não tão conhecida Vera Farmiga.