O serão de ontem foi "prazeiroso"

2 comments

A páginas tantas já o sono me invadira. Confortável no sofá, com a barriga devidamente acarinhada e após uma jorna de trabalho o sono tem o hábito de me visitar. Mas, a rica e corrida prosa de Sándor Márai continuava a invadir-me as pálperas. Olhei acima do livro e vi-a. Deixei-me estar assim "aparvalhado" a comtemplá-la. Que raios estávamos em silêncio há duas horas cada um nos seus prazeres, eu no livro, ela no PC e, apesar de, nem uma palavra ter sido trocada senti-me feliz. Ela não me viu a espreitar acima do livro. Fixei os meus olhos gulosos nela e pensei em quanto a amo. Prossegui a leitura. Prossigo a amá-la. Mais que a tudo. Que bem sabe a serenidade do amor verdadeiro. O coabiatar harmonioso entre duas pessoas diferentes a fazer coisas diferentes mas que, invariavelmente voltam a ser unas. "Prazeiroso" diria um brasileiro.

2 comments

JFD 23 April, 2009 05:14

estás a atingir um nível de escrita que te proporciona estar pronto para escreveres romances.

Francisco Chaveiro Reis 23 April, 2009 08:37

Aprecio a observação. Bastante